Evo Morales renuncia á Presidencia da Bolívia

“Depois de analisar a situação de conflito interno, pedimos ao Presidente do Estado que renuncie ao seu mandato presidencial, permitindo que a paz seja restaurada e a manutenção da estabilidade para o bem da Bolívia”, afirmou o comandante das forças armadas do país, Williams Kaliman, a repórteres.

A Organização dos Estados Americanos (OEA) encontrou irregularidades na eleição disputada no mês passado e o presidente boliviano Evo Morales disse no domingo que convocaria novas eleições. Morales também anunciou que substituiria os membros do conselho eleitoral.

O presidente boliviano Evo Morales venceu as eleições em 20 de outubro, renovando seu quarto mandato. No entanto, rumores de fraude eleitoral mancharam a controversa vitória do líder esquerdista.

O país passou por 18 dias de protestos intensos que culminaram nesta semana com motins da polícia em algumas das principais cidades do país: La Paz, Cochabamba, Tarija, Sucre e Santa Cruz.

Em La Paz, a polícia leu um manifesto em frente à sede do governo: “A polícia não se deve a nenhum partido político, por isso se junta à luta do povo”.

As Forças Armadas bolivianas disseram ter ordenado que operações aéreas e terrestres “neutralizassem” grupos armados que agem fora das leis, em comunicado divulgado no domingo.