Governo envia 5.000 soldados para conter oléo nas praias do nordeste

Diante de uma crescente crise ambiental com diversas críticas da oposição e ONGs Brasil a fora, o governo brasileiro enviou 5.000 soldados para limpar o grande derramamento de óleo que polui as praias do nordeste.
O lodo preto foi descoberto lavando-se em terra há mais de sete semanas e desde então se espalhou por 2.250 km da costa nordeste entre o Maranhão e a Bahia.

Na quarta-feira, o grupo de campanha ambiental protestou contra ao que eles consideram uma política ambiental “destrutiva” do governo, derramando petróleo fora do palácio presidencial.
Segundo o governo, mais de 1.000 toneladas de óleo já foram coletadas das praias.

A preocupação pública com a catástrofe levou os jogadores do time de futebol Sport Club Bahia a disputarem a partida da última segunda-feira com manchas de óleo preto nas camisas.

Os tribunais federais dos estados de Pernambuco e Alagoas ordenaram ao governo a instalação de barreiras de proteção em torno de áreas naturais sensíveis e ecossistemas, como manguezais, rios e áreas de desova de tartarugas marinhas.

No mesmo dia, Hamilton Mourão, vice-presidente, confirmou que 5.000 soldados seriam enviados para se juntar aos 1.500 militares da Força Aérea e da Marinha que trabalham na área.

“O máximo que podemos fazer hoje é treinar pessoas para coletar esse óleo que chega às nossas praias”, afirmou.