Como serão as escolas do futuro?

Arquitetura que promove mudanças, privilegie a aprendizagem e provoque a imaginação, com diferentes formas de interação e compartilhamento de conhecimentos.

É esse o conceito que norteia o trabalho pioneiro da Sinapse Arq, que utiliza a neuroarquitetura em seus projetos arquitetônicos para escolas e corporações, conforme explica a arquiteta e especialista em arquitetura escolar e corporativa, Renata Ferreira, diretora-executiva da empresa.

Ela assina o projeto do novo Colégio Batista Mineiro, que será aberto na cidade de Sete Lagoas, em fevereiro de 2020. “No projeto do novo Colégio Batista Mineiro a arquitetura está sendo pensada para o aluno e não de forma o aluno a adaptar-se à arquitetura existente”, explica.

Renata Ferreira/arquiteta – Foto Divulgação
Renata Ferreira/arquiteta – Foto Divulgação

Segundo Renata Ferreira, o bom projeto escolar é “aquele que articula todos os elementos que compõem a escola, é aquele que integra as salas de aula de forma flexível incluindo o lazer, a sustentabilidade e a acessibilidade, influenciando o comportamento social dos alunos e alunas, unindo a arquitetura aos princípios da neurociência de modo a tornar o aprendizado mais dinâmico”, explica.

Com o projeto da Sinapse Arq, o Colégio Batista Mineiro, um dos mais tradicionais de Minas, torna-se o pioneiro ao investir em uma arquitetura voltado para as escolas do futuro, que valoriza ao mesmo tempo o conforto e os espaços que possibilitem o crescimento e o desenvolvimento de seus alunos.

“Hoje os alunos precisam ser preparados para definir seu próprio caminho da vida, construir conhecimentos de forma colaborativa e criar seu próprio conteúdo e perguntas. Assim como é necessária uma pedagogia moderna, é fundamental também uma mudança no espaço físico escolar para inspirar alunos e professores no processo de aprendizado”, destaca Renata Ferreira.

Tendências do segmento corporativo

Ana Paula Guedes/arquiteta – Foto Divulgação
Ana Paula Guedes/arquiteta – Foto Divulgação

Ana Paula Guedes, especialista em arquitetura corporativa e diretora-executiva da Sinapse Arq diz que o ambiente impacta na produtividade e na aprendizagem também. “As empresas têm nos procurado em busca de ir muito além do projeto – buscam por espaços cada vez mais modernos, alinhados com suas necessidades específicas e cultura organizacional e principalmente, que promovam bem-estar e conforto a seus colaboradores.”

Ana Paula Guedes acaba de receber mais uma certificação na área da Neurociência. Ela foi a única arquiteta a participar do Curso de Neurofeedback, ministrado pelo supervisor da Brain-Trainer Brasil, Tuiã Linhares.