Amazônia em chamas

“Manitôs já fugiram da Taba, / Ó desgraça! ó ruína! ó Tupá!”
(Gonçalves Dias)

De madrugada eu verto a água bruta
pra batizar o índio; antes que nasça
o sol, eu sou arcanjo nessa luta
que arrebata tribo, terra, taba

ao seio do Senhor; antes que tarde,
expulso manitôs; com justa raiva,
invoco a motosserra, a divindade
que pune o templo ímpio da mata;

eu não espero pelo véu da noite
e nem escolho a lua mais propícia
para estumar matilhas de tratores

e envenenar os rios e as ilhas;
antes que o mundo acabe, eu faço fogo
para salvar da selva má o povo.

(Afonso Guerra-Baião)