Biblioteca Pública Municipal Antônio Gabriel Diniz – Uma nova Perspectiva.

Douglas Veríssimo Gonçalves
Advogado e Vereador

Minha ligação com a Biblioteca Pública Municipal de Curvelo, remonta ao ano de 2.007, quando, juntamente com alguns amigos da Ordem DeMolay, realizamos uma grande campanha de arrecadação de  livros para a instituição, além de pequenos reparos para a biblioteca, tais como troca de lâmpadas e colocação de placa de indicação da instituição que,  na época, funcionava,  de forma improvisada,  na Praça Voluntários da Pátria, ao lado da Basílica de São Geraldo.

A campanha,  que levava o nome “Embarque na Leitura”, tinha como principais objetivos estimular o gosto pela leitura em leitores e não leitores de idades diversas, facilitar, agilizar e aumentar o nível de empréstimos das obras para os moradores da cidade de Curvelo e região, além da conscientização do poder público municipal de Curvelo, sobre a importância da biblioteca pública municipal, dentre inúmeros outros.

O projeto foi um sucesso. Foram arrecadados mais de 500 (quinhentos) volumes doados diretamente para a biblioteca, além da aquisição de mais de 130 (cento e trinta) obras para doação,  entre obras nacionais e internacionais.  

Registra-se que,  a Biblioteca Pública Municipal Antônio Gabriel Diniz, encontra-se assim,  como no ano de 2.007, em um local inapropriado e em condições inadequadas para abrigar um local tão importante como a referida instituição.

Ainda no ano de 2.020, defendi,  em minha campanha,  a defesa de destinação orçamentária específica para a Biblioteca Pública do Município de Curvelo, ante a sua importância e grandiosidade para a estrutura educacional e acadêmica de nosso Município, com espaço amplo e adequado para tanto.

Em uma das primeiras reuniões que realizei com Alessandro, Secretário de Educação do Município de Curvelo, para minha total alegria e surpresa, fui informado pelo mesmo que a melhoria da estrutura da Biblioteca do Município de Curvelo estava em seu radar, a criação de uma estrutura própria e adequada era possível, mas que era necessário paciência, ante o momento grave que atravessamos em virtude da pandemia de COVID-19.

Outra surpresa positiva, foi a nomeação do Professor Rogério da Fonseca Trindade como Coordenador da Biblioteca Pública do Município de Curvelo, sendo que conheço a sua conduta profissional, primeiro por que fui seu aluno junto ao colégio Bolivar de Freitas e,  segundo,  pelo fato de seu trabalho já estar sendo reconhecido pelos usuários dos serviços, mesmo com as limitações impostas, resultado de anos de apatia do Poder Público do Município de Curvelo pela Biblioteca Municipal.

Tive a oportunidade de analisar,  de forma detida,  o “Projeto Afins de Leitura” elaborado pelo Professor Rogério Trindade e, realmente é algo inovador,  diferenciado do que já foi praticado em nossa cidade quando se trata da nossa biblioteca pública. Os resultados, por sua vez, já vêm sendo comentados pelos profissionais da educação. Quero,  inclusive, convidar a todos para seguir a página do projeto no Instagram, qual seja (@afinsdeleitura), e acompanhar essa revolução cultural que vem ocorrendo em nossa cidade.

No próximo dia 09 de abril, comemoramos o dia Nacional da Biblioteca,  em função do decreto Nº 84.631,  da Presidência da República, data de fundamental importância e que,  neste ano,  no Município de Curvelo, tenho que é um marco de uma nova perspectiva do alcance e uso da Biblioteca Pública da nossa cidade. Essa data,  ainda,  representa a esperança de uma nova estrutura para um equipamento cultural tão importante quanto a Biblioteca pública de Curvelo.

Que no ano de 2.022, após o fim desta hecatombe que vivemos em virtude da pandemia de COVID-19, possamos voltar a sonhar com melhorias reais para o nosso povo e trazer os projetos de valorização da cultura, da arte e da educação para o centro do debate em nossa cidade,  que sempre ficou tão alijada deste projeto, seja por escolha de seus governantes anteriores, seja pela falta de oportunidade. O fato  é que o momento é de colocar o tema em pauta.

Assim,  como fiz em 2.007, continuarei a apoiar a biblioteca, sendo parceiro na busca de uma sociedade melhor, onde todo e qualquer  indivíduo, em especial o jovem, tenha plena consciência de que a cultura é uma forma de engrandecer e melhorar o local onde nasceu. Enquanto agente político, meu dever é  fomentar ações destes nível,  contribuindo para o desenvolvimento social e o aperfeiçoamento da educação e da cultura Curvelana.