Galo, campeão de sempre!

A camisa do Galo vence o vento no varal,
em campo o time bate ratos, rights, var,
derrota adversários com a magia
do Beija-Flor que dribla a gravidade,
com a rebeldia
do Rei pantera negra que celebra
o gol com liberdade, com a alegria
da massa que alvinegra viraliza
dor e delícia de só ser amor,
amor que não se vende e só se rende
à raça (mais que à taça), à garra (mais que à grana),
à arte (mais que à fama),
ser Galo é ser de alma e não de lama,
é ser equipe de heróis humanos

  • mais que mineiro-nordestino-hermano,
    o time que resgata o brasileiro
    e recupera a graça de gritar
    mais uma vez de todo coração:
    É CAMPEÃO! É CAMPEÃO!
    Afonso Guerra-Baião